quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Monitoramento de alunos através de chips em uniformes é discutido no país

Por Dhandara Ferreira 4º Período

A partir de agora, vai ser mais difícil alunos dos ensinos Médio e Fundamental “matar” aula no Brasil. Um dispositivo eletrônico está sendo utilizado em algumas cidades, para controlar a presença deles em sala de aula.. O chip é grudado na camisa dos alunos que, ao se aproximarem de um sensor, seus nomes são registrados no computador, tanto na entrada quanto na saída da escola. Minutos depois, as mensagens aparecem no celular do pai ou responsável.

Em razão do aumento do número de estudantes que cismam em deixar a escola no decorrer das aulas, principalmente no ensino médio, essa foi a solução encontrada pela direção de algumas escolas. É o caso da E. M. Samambaia, localizada a 40 km de Brasília, uma das primeiras a aderir à ideia.
Dos seus 1.800 alunos, 42 de uma mesma turma estão usando uniforme com chip. Antes da implantação, metade dela abandonava a aula pelo menos 15 minutos antes do termino, no final da tarde, horário considerado muito  crítico.Com a implantação do chip dedo duro,  em 15 dias esta rotina mudou.

Para a professora e coordenadora do Curso de Comunicação Social do UBM, Melissa Ribeiro, a ideia representa segurança e vigilância.
- Segurança para os pais e vigilância para os alunos. Esse controle gera uma inibição para os alunos e, assim, determina seu comportamento. Talvez esse seja o ponto negativo: a tecnologia implica mudanças. Os alunos não vão se sentir à vontade, sendo vigiados dessa maneira. Porém, para o controle dos pais é uma forma válida de saber realmente se seus filhos estão indo ou não para a aula – disse a coordenadora.

Já para o aluno de Jornalismo, Vinícius Magalhães, a medida é controladora e há outras maneiras de manter a segurança dos alunos, como por exemplo o policiamento não armado em frente às escolas. Porém, para Vinícios o método do chip nos alunos “é evasivo demais.”.

O operador de vídeo do UBM, Luiz Fernando Carvalho, acredita que essa é sim uma experiência válida. “Antigamente, as escolas eram militarizadas e não tinham toda essa liberdade de hoje em dia. Os jovens estão aproveitando essa liberdade de forma errada, matando aulas, ou fugindo da escola. Tal ideia é uma forma de obriga-los a ver que eles têm direitos, porém também existem seus deveres. Por isso considero válida  a experiência.”

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Aluna do curso de Jornalismo vence Festival do Minuto UBM


Dhandara Ferreira (4º Período de Jornalismo)

Evento faz parte da Jornada da Comunicação, que continua amanhã, a partir de 19 h

A aluna Carla Rodrigues, do 6º `Período de Jornalismo, foi a grande vencedora do Festival do Minuto UBM, realizado nesta noite, no Salão Nobre, sob a organização do Curso de Comunicação Social. A  programação faz parte da Jornada de Comunicação, iniciada ontem na instituição, e que segue até amanhã dia 31). Carla venceu com o filme "Plantando o Futuro", tendo como concorrentes, Jessiel Lucas, do 8º Perído de Jornalismo, com o título "Resposta da Natureza";  Michele Rodrigues, do 6º Período de Jornalismo com "Carona Solidária",  e a aluna do 4º Período do Curso de Educação Física, Maria Aparecida Rodrigues. Pela vitória, Carla receberá como prêmio um fim de semana numa pousada de Penedo (Itatiaia).

 "Assistindo diversos vídeos sobre o tema, eu tive essa ideia de mostrar um menino  plantando uma árvore e, no furturo, ter onde brincar com seu filho. A principio, o vídeo seria feito com crianças, porém elas desistiram de filmar. Com isso, tive a ajuda do meu marido, que é publicitário, e então resolvemos montar toda aquela estória no papel. E assim ficou o vídeo, que foi filmado e depois editado." revela, Carla.

Hoje, segundo dia da Jornada, foi reservado para os alunos. O Festival do Minuto deve o intuito de fazer com que o acadêmicos produzissem vídeos com duração de cinquenta segundos a um minuto e meio, com o tema "Meio Ambiente e Biodiversidade". A apresentação ficou por conta do professor Gabriel Malinowski e do professor convidado Alvaro Britto, dando início à noite de apresentações. Ao final, o professor Luis Cláudio Hermógenes anunciou o nome da vencedora.*

Amanhã a Jornada continua, com o convidado Fernando Pacheco, gerente de logística da Copa 2014, que abordará o tema "Organização de Grandes Eventos". Durante sua apresentação, ele mostrará os desafios e expectativas que esta vivenciando na organização do evento, além de toda sua bagagem dentro do tema.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Brasileira que leiloou virgindade fará sexo pela primeira vez no dia 3 de novembro

Paolla Carvalho (4º Período de Jornalismo) 

Catarina Migliorini
A brasileira Catarina Migliorini, de 20 anos, leiloou sua virgindade por 780 mil dólares, aproximadamente 1,5 milhão de reais. A jovem participa de um documentário que publicará fatos de sua vida - desde que foi selecionada para o projeto, até no dia 3 de novembro, data marcada para acontecer sua primeira relação sexual. O vencedor do leilão é um japonês de nome não revelado.
Mesmo com as mudanças do mundo atual, a sociedade ainda não aceita determinadas modernidades de hoje em dia. De acordo com a estudante de Logística do UBM, Jéssica da Silva Ribeiro, “as pessoas, atualmente, perderam a noção das tradições, fazem tudo por dinheiro e se esquecem das famílias. A mulher tem que se preservar, pois a virgindade só se perde uma vez na vida”, salienta.
O leilão ocorreu através do site australiano “Virgins Wanted” (Queremos Virgens). A jovem, que é natural de Santa Catarina, resolveu participar do reality há dois anos. O produtor do site, Justin Sisely, produziu um vídeo teste, mudando completamente a vida habitual de Catarina.
A competição por Catarina foi acirrada, envolvendo seis homens, três americanos, um australiano, um indiano e um japonês. A produção do site teve 10 dias, após o termino do leilão, para preparar e organizar o ato. A principal ideia seria junta-la ao vencedor em um avião, uma medida considerada legal perante a Lei, para que o ato não seja encarado como prostituição.
“Na minha opinião, agindo assim faz de Catarina uma prostituta. Ela fez essa escolha. Pode ser pela necessidade deste dinheiro ou pela fama repentina, o que agrada os jovens hoje em dia”, analisa Bruno Braz, aluno de Ciência da Computação.
Em entrevista ao site IG, Catarina se defende das críticas.“Eu acho que a vida é minha e o corpo também. Não estou prejudicando ninguém, e pouco me importa que o mundo inteiro saiba que eu vou transar pela primeira vez. Eu não preciso esconder isso de ninguém, sou maior de idade. Se existem pessoas dispostas a cuidar da minha vida, do que eu faço ou deixo de fazer, realmente não posso fazer nada, a não ser lamentar”.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

UBM REALIZA FESTIVAL DO MINUTO




Por Lenara Martins - 4º Período Jornalismo.


O Curso de Comunicação Social do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) realizará, entre os dias 29 e 31 de outubro, a Jornada da Comunicação. Em sua programação o evento contará com o Festival do Minuto, que acontecerá no dia 30  tendo como tema Meio Ambiente e Biodiversidade,  O festival é aberto a alunos e ex- alunos do UBM.

Cada candidato poderá participar com, no máximo, dois vídeos. podendo utilizar qualquer tipo de câmera. As inscrições já estão abertas e se encerram no dia 26 de outubro

Não deixem de participar!

Para maiores informações, consulte o regulamento do Festival: REGULAMENTO FESTIVAL.





 Em comemoração aos 51 anos do UBM, comemorados na sexta-feira, dia 12, o Pró-reitor Comunitário e um dos fundadores da instituição, Leandro Álvares Chaves, foi entrevistado pela Rádio UBM, e falou sobre a história da faculdade, desafios e projetos para o futuro – entrevista vai ao ar amanhã às 10h. Ouça pelo link: www.ubm.br/radioubm

  E em comemoração ao dia dos professores, vai ao ar na segunda-feira, dia 15, data da comemoração, uma entrevista na rádio com a professora de literatura, Elizabeth Barbosa. O programa vai ao ar às 10 horas, pelo mesmo link.


Por Yasmin Martins

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Olimpíadas de Londres: a visão do torcedor brasileiro.


 Por Lenara Martins - Jornalismo 4º Período.

O reduzido número de medalhas conquistadas pelo Brasil durante as Olimpíadas de Londres frustrou parte da nossa torcida. Gente como Diego Hipólito (ginasta), Fabiana Murer (salto com vara) e Maurem Maggi (salto à distância), esperanças de medalha de ouro durante os jogos, decepcionaram. Afinal, o Blog do Entrelinhas quer saber: você esperava mais dos atletas brasileiros, ou acredita que a participação deles foi  dentro das expectativas?


Luiz Otávio Compasso
Para Luiz Otávio Compasso, estudante do 4º período de Enfermagem do Ubm, a participação do Brasil nos jogos olímpicos foi horrível. “Um país desse tamanho tinha que ter mais incentivo para obter resultados melhores em competições internacionais. E em se tratando de decepção, Fabiana Murer foi a atleta que mais o decepcionou. “Faltou preparo e dedicação dos atletas. Eles se satisfazem apenas com a classificação e se esquecem do objetivo maior, que é o de ganhar medalhas”, analisou.

Anselmo Martins
 
Já para o aposentado Anselmo Martins, várias modalidades de esporte deveriam ser praticadas nas escolas e universidades brasileiras. Para ele, falta ainda investimento em atletas que realmente tenham condições de competir em igualdade com outros países. No seu entender, outra medida importante é continuar com intercâmbios entre o Brasil e outros países. Para Anselmo, a verba destinada ao COI é muito maior que os resultados obtidos. Anselmo também fala de sua expectativa em relação aos atletas brasileiros para a próxima olimpíada, que será no Brasil: “Sem organização e disciplina, só os esportes coletivos terão chance de obter bons resultados.


Confira abaixo como foi o desempenho do Brasil no quadro de medalhas:


 3 OUROS:

 -Ginástica Artística masculina - Arthur Nabarrete Zanetti.
-Judô feminino - Sarah Menezes.
-Vôlei feminino.


5 PRATAS:

-Boxe masculino - Esquiva Falcão.
-Futebol profissional.
-Natação masculino - Thiago Pereira.
-Vôlei masculino.
-Vôlei de praia masculino - Alison/Emanuel.

9 BRONZES:


-Boxe feminino - Adriana Araújo.
-Boxe masculino - Yamaguchi Falcão.
-Judô masculino - Felipe Kitadai.
-Judô feminino - Mayra Aguiar.
-Judô masculino - Rafael Silva.
-Natação masculino - Cesar Cielo.
-Pentatlo moderno feminino - Yane Marques.
-Vela masculino - Robert Scheidt/Bruno Prada.
-Vôlei de praia feminino - Juliana/Larissa.
 

Resenha - Livro: Velhos Segredos de Morte e Pecados sem Perdão


Por Brena Lacerda

Antes de qualquer comentário, preciso dizer que este é um dos melhores livros que já li em toda a minha vida. Da narrativa à trama entre mirabolante e fantástica, não posso dizer uma vírgula que comprometa a obra.
O personagem central, que não parece ter um nome, conta a história com riqueza de detalhes e cinismos quase doentios. Para cada personagem que descreve, carrega suas tintas contando sempre seu passado sórdido, seus erros e desvios. Muito antes do meio da trama, você percebe: não existe alma pura na cidade de Arroio dos Perdidos.
A estória acompanha o narrador em um curto espaço de dias em que a cidade enlouquece após o misterioso (nem tão misterioso assim, para nós, leitores) roubo da cruz da igreja. As pessoas realmente enlouquecem e seus pecados as acertam no rosto, como uma toalha molhada. E o final apocalíptico, entre o chocante e o cômico, surpreende pelos detalhes macabros e cheios de valores invertidos.
Mas é por Isabel que me apaixonei. É a mulher por quem o narrador perde todo o seu equilíbrio. E que ser humano não perderia o equilíbrio por ela?
Um livro cuidadosamente tecido, em que nenhuma ponta fica solta e que revela um incrível conhecimento, por parte do autor, da extraordinária mente humana.
Em meu exemplar, um presente do autor, há pequeno recado do mesmo, desejando que eu não me assustasse com seus personagens. A única coisa que posso dizer a respeito deste comentário é que não se assustar é realmente difícil. No entanto, não se encantar é impossível.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Resenha - Livro: A Maldição do Tigre


 Por Brena Lacerda

Um romance de aventura ou uma aventura romântica? As duas definições cabem perfeitamente na descrição de A Maldição do Tigre. Um livro que alterna momentos românticos e outros de pura ação, o que poderá agradar aos amantes dos dois gêneros.

Quando comecei a ler o livro, em um primeiro momento pensei que se tratava de uma obra destinada exclusivamente ao público romântico, um conto de fadas moderno. Mas surpreendi-me ao embarcar junto com os personagens, na busca pelo rompimento da maldição.

A começar por Kelsey que, marcada por uma trágica perda, alterna momentos de puro deslumbramento adolescente e de maturidade além de sua idade. E esta relação entre a fantasia e realidade é desenvolvida ao longo da obra, o que marcará as importantes decisões que a personagem será obrigada a ter.

Da mesma forma que Dhiren, ou Ren, apesar de ser “um perfeito príncipe”, demonstra elementos que o humanizam, e que nos fazem torcer por personagens tão diferentes e ao mesmo tempo tão complementares.

Os personagens secundários também merecem destaque, principalmente o fiel Sr. Kadam, que auxilia a Ren na busca pela quebra da maldição do título.

A Índia, tanto mítica quanto moderna, serve como palco principal para a aventura, sendo, em minha opinião, o melhor aspecto do livro, que faz realmente o seu diferencial. Mitologia, culinária, religião, cultura: a Índia, com todos os seus mistérios e contradições nos é apresentada, despertando um desejo incomum de se conhecer melhor o país e seus costumes.

Como faz parte de uma saga, o livro não tem um final definitivo, o que nos deixa com um gostinho de “quero mais”. E para quem quiser continuar a aventurar-se com Kelsey e Ren, já está disponível O Resgate do Tigre, segundo volume da saga.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Festa de inauguração de clínica veterinária terá feira de adoção de filhotes, em Volta Redonda


Pirata, adotado no Arraiá da Dona Antônia. Foto: Vira Lata/Divulgação

Por Brena Lacerda

A clínica veterinária Little Pet, com o apoio da ong Vira Lata, realizará, no próximo sábado, 18, uma grande festa de inauguração, que contará com distribuição de brindes, sorteios e brincadeiras. Mas a atração principal do evento será a possibilidade de o público presente adotar os 13 cãezinhos mantidos pela clínica, à espera de um novo dono. No ato da adoção, os interessados deverão apresentar documento de identidade e comprovante de residência. A inauguração acontecerá a partir das 9h, na Rua 4, nº 74, bairro Conforto, em Volta Redonda.
Um encontro semelhante fora realizado pela Vira Lata, no domingo passado, dia 5, no Clube Foto Filatélico, Vila Santa Cecília, também em Volta Redonda. Com o nome de Arraiá da Dona Antônia, o evento reuniu dezenas de voluntários solidarizados com a causa animal. A festa recebeu visitantes de toda a região, tanto para adoção quanto para prestigiar e apoiar o trabalho da ong. Dos 70 cães disponíveis, 20 ganharam um novo lar e os outros voltaram para o abrigo da homenageada Dona Antônia, em Rio Claro.
Além deste evento, a ong planeja outras feiras de adoção, ainda para este ano.

Obrigatoriedade do diploma de Jornalismo ainda será votada na Câmara dos Deputados



Antônio Cruz/Agência Brasil - 22-06-2009
Por Brena Lacerda

Após aprovação no Senado, a proposta de emenda constitucional (PEC), que torna obrigatória a obtenção do diploma de curso superior em Jornalismo para que se exerça a profissão, segue para ser discutida pela Câmara dos Deputados. A proposta tenta neutralizar decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de junho de 2009, que revogou a exigência do diploma.
A vitória ainda é parcial, pois a proposta passará por duas sessões de votação, com quorum de 3/5, na Câmara dos Deputados, e, se aprovada, ainda necessitará na sanção da presidente Dilma Roussef para entrar em vigor.
“Acredita-se que a discussão ainda irá durar, pelo menos, um ano e muita mobilização se fará necessária para que os jornalistas ganhem esta luta.” Afirma Álvaro Britto, vice-presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado do RJ.
Álvaro acrescenta ainda que, sem pressão e sem luta, a emenda não passará na Câmara, e pede para todos que conhecerem e tiverem contatos de deputados, que enviem e-mails pressionando-os a votar a favor.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Cacos elege novo presidente

Diretoria do CACOS

    O Centro Acadêmico do Curso de Comunicação Social do UBM (CACOS) tem novo presidente. André Luiz Calcagno, do 3º período de Jornalismo e integrante da Chapa 1, foi eleito com 29 votos, contra um nulo. A votação foi realizada nesta segunda-feira (dia 21). Ele concorreu em chapa única, também composta pelos acadêmicos Harrison Nebot, como vice-presidente; Juliana Neves, coordenadora de Finanças; Edurne Miravete e Paolla Carvalho, na coordenadoras de Comunicação, e Domenique izídio, coordenadora de Cultura e Eventos.
 A posse acontece amanhã (sexta-feira, dia 25). O mandato é de um ano.




DOMENIQUE IZÍDIO

quinta-feira, 3 de maio de 2012

JORNALISMO CIDADÃO




Há uma novidade difícil de ser ignorada. Em todo o mundo, nos países pobres ou ricos, a mídia tradicional está sendo transformada por um competidor que não existia antes. Esse competidor é a própria sociedade. Tradicionais empresas de mídia como, por exemplo, o New York Times e a BBC estão tendo de repensar seus modelos de negócios e até mesmo seu modelo de redação para competir nos novos tempos.

Todas essas mudanças rompem com padrões que caracterizam os meios de comunicação de massa. O termo ''jornalismo cidadão'' foi adotado em todo o mundo e também no Brasil para nomear a produção de notícias nesse novo universo.

De uma forma muito simplificada, pode-se dizer que você se transforma em um cidadão jornalista quando toma uma iniciativa de divulgar uma informação. Sempre haverá um público interessado no que você produzir, mesmo que seja um número reduzido de pessoas. Assuntos que interessam apenas a públicos específicos até combinam muito com o jornalismo cidadão, já que a mídia de massa pode não ter pretensão em abordá-los, quando não o faz com interesses corporativistas.

Esse novo modelo não exclui a produção dos jornalistas profissionais, mas acrescenta à ela a contribuição de cidadãos jornalistas, leigos que são testemunhas de fatos importantes, gente que está no lugar certo e na hora certa para cobrir um evento.

O jornalismo cidadão é também assunto para muitas discussões. A ética do que é produzido sem regras e técnicas jornalísticas é a primeira questão que emerge. Quem garante a veracidade da notícia? Que cuidados toma o autor não profissional em relação ao que produz? É preciso cursar uma faculdade para exercer a função de jornalista? Quais são os limites da privacidade em um mundo onde todos são repórteres de plantão?

A internet é uma grande aliada na divulgação do material que o cidadão produz ou capta. Com uma câmera ou um celular na mão, ele pode publicar suas imagens em blogs, redes sociais, ou até mesmo fornecer o conteúdo ao uma grande mídia e vê-la sendo utilizada como complemento à alguma reportagem.

Sem dúvida, tornou-se indispensável a participação do cidadão na construção da notícia.
Esse é o novo cenário da comunicação no mundo e que está apenas começando. Saber o que é ou não relevante para um determinado contexto e espaço geográfico é papel da imprensa juntamente com a sociedade. Porém, em sua finalização, cabe à mídia profissional com os conhecimentos críticos e análises profundas o que será, efetivamente, taxado como informação a ser publicada.

Vinícius Magalhães (3º Período de Jornalismo)

O Morro Dos Ventos Uivantes

Victória Amaral


Um clássico da literatura inglesa. Agridoce, excitante e, sobretudo, atemporal. Emily Brontë nos choca ao nos levar junto a si em um mergulho nas profundezas da obscura natureza humana, ao mesmo tempo em que nos amendontra e desperta uma curiosidade mórbida ao se manter na fina e turva superfície. Uma história apaixonante, com alguns dos personagens mais complexos e sólidos de todos os tempos. Cada página reserva uma surpresa, cada frase esconde um segredo. Experimentamos um misto de sentimentos confusos e claros por cada um dos personagens.  Brontë nos abre as portas da fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes e nos faz chorar ao avisar que a visita está no fim. É uma pena, realmente, que essa notável escritora tenha dedicado todo o seu talento a apenas um romance. Mesmo que este seja “o” romance.

Dica de livro: Confie em mim de Harlan Coben

Clarice Moreira

Como todos os livros de Harlan Coben, “Confie em mim” é um excelente suspense, desses que prendem a atenção do leitor do início ao fim e só tem a trama solucionada na última página. 
O livro, que entrelaça várias histórias, começa o enredo com o assassinato de uma mulher e seu marido que, anos após o ocorrido, começa a receber mensagens supostamente assinadas por ela. A partir de então, a cada novo capítulo, o escritor nos apresenta mais personagens e informações que apontam para inúmeros suspeitos do crime e diversos motivos para tal e até mesmo nos fazem desconfiar se a mulher realmente morreu. Aos poucos, à medida que os fatos vão se desenrolando, a história vai se encaixando e encerra com um final surpreendente. 
Além de ter uma história bem interessante, o livro ainda nos faz questionar até onde iríamos para defender quem amamos e se é possível confiar em qualquer pessoa próxima.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Senado retoma PEC dos Jornalistas após feriadão

Rianne Netto (5º Período Jornalismo)

Na próxima semana entra em pauta no Senado a PEC 33/09, que reintegra a exigência do diploma para o exercício da profissão do Jornalismo. Na agenda oficial do Senado estão previstas três sessões de discussão e, com o propósito de intensificar o movimento pela aprovação da matéria em 2º turno, a FENAJ (Federação Nacional de Jornalismo) convocou os Sindicatos de Jornalistas, a categoria e os apoiadores da campanha em defesa do diploma.

A intenção é que a matéria seja incluída na sessão ordinária do dia 3 de maio e, em “Terceira e última sessão de discussão, em 2º turno”, no dia 8 de maio. Nesta sexta-feira, a matéria, que ocupava o primeiro ponto da pauta na agenda do Senado, passou a ocupar o quinto ponto. 

O presidente da FENAJ, Celso Schröder, comentou sobre a campanha: “Relembramos o compromisso das lideranças partidárias, firmado no final do ano passado, de votação da PEC no inicio deste ano, solicitamos a inclusão da matéria na pauta e destacamos a expectativa da categoria em torno do assunto”. Nos dias 25 e 26 de abril, encarregados da FENAJ, dos Sindicatos de Pernambuco, do Município e do Estado do Rio de Janeiro mantiveram contatos com lideranças no Senado para garantir a votação em 2º turno.

Um pedido de intensificação das ações foi feito por parte da direção da Federação e da coordenação da campanha em defesa do diploma. Foi solicitado que os Sindicatos de Jornalista, além de reforçarem a comitiva que desenvolve articulações e negociações semanais em Brasília, estimulassem a movimentação da categoria através do envio de mensagens pela votação da PEC e dessem maior atenção aos contatos com os parlamentares em seus estados. 

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Vereador Carlos Bolsonaro quer instituir Dia do Orgulho Hétero no Rio de Janeiro

Larine Flores - 3º Período - Jornalismo

Inspirado pelo projeto homônimo do vereador paulista Carlos Apolinário (DEM), Carlos Bolsonaro (PP), filho do polêmico Jair Bolsonaro, propôs na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro a instauração do Dia do Orgulho Hétero no município.
O vereador justificou a necessidade do dia para “conscientizar e estimular a população a resguardar a família, a moral, os bons costumes e os princípios cristãos” e apresentou a data, 15 de Maio, a fim de coincidir com o Dia Internacional da Família, instituído pela ONU em 1993.
Em sua justificativa para o projeto, Carlos assinala a comunidade homossexual como principal responsável pela dissolução da família e disseminação do vírus do HIV, provavelmente ignorando os reais fatores para a disseminação, que se iniciou na década de 80 e não era associada ao comportamento sexual.
Vale lembrar que o vírus, como é de conhecimento público, não determina critérios de contágio e, em muitos lugares, ainda conta com a ignorância como aliada. Podemos tomar como exemplo localidades mais afastadas na África, onde há a ideia que, tendo contato sexual com uma virgem, é possível livrar-se da doença. Tal crença contribui para o aumento do número de violência sexual e disseminação do vírus – lembrando que, no caso, a relação baseada na fé é sempre heterossexual.
De fato, quatro características marcaram a epidemia da Aids no Brasil: a pauperização, a interiorização, a feminilização e a juvenilização sendo, respectivamente, a disseminação em camadas mais pobres da sociedade, em áreas do interior do país, em mulheres infectadas e jovens com a doença. Hoje o aumento do número de idosos infectados também surpreende, tendo eles qualquer orientação sexual.
Além do contágio por contato íntimo, o vírus pode ser adquirido por compartilhamento de seringas, transfusões de sangue e passado de mãe para filho, o que prova cientificamente que homossexuais podem transmitir o HIV por via sexual, tanto quanto qualquer membro da sociedade com vida sexual ativa.
Afirmar também que a dissolução da família se dá pelo comportamento sexual não pode ser considerado um argumento, já que muitos casais se divorciam sem que haja envolvimento ou comportamento sexual.
Alguns dos argumentos apresentados contra o projeto questionam até que ponto a influência social molda o comportamento sexual de um indivíduo, exemplificando que, em uma sociedade onde um comportamento é obrigatoriamente derivado de um estímulo, um lar heterossexual jamais criaria um filho homossexual, o que logicamente não procede.
Carlos finaliza sua justificativa citando também o aumento da criminalidade que, segundo ele, acompanha o crescimento da comunidade homossexual e, confirmando sua opinião, afirma que “a melhor prevenção contra o HIV/AIDS é a orientação para uma cultura que valorize a família estável onde cada membro se preocupa com o bem-estar do outro e tanto mais forte será quando fundada no casamento entre homem e mulher”. .


O Povo Fala

O estudante de Jornalismo do UBM, Harrison Nebot, XX anos, acredita que as minorias só deixarão de ser marginalizadas quando ganharem voz e lutarem por seus direitos e espaço. Por isso, segundo ele, o Dia do Orgulho Heterossexual não tem base ideológica, “já que a maioria não é oprimida”. Quanto à acusação do vereador, Harrison argumenta “que o HIV é um vírus que se instala em humanos, sem distinção de cor, sexo ou raça e uma crença preconceituosa só mostra a  falta de embasamento do projeto”.

Também estudante de Jornalismo do UBM, Juliana Neves, 19 anos, acredita que o projeto anda na contramão dos movimentos sociais, que buscam espaço e respeito para as vítimas de preconceito e opressão na sociedade. O Dia do Orgulho Hétero, segundo ela, não vai a favor da família ou do combate ao vírus HIV, mas contra a comunidade homossexual que ainda é massacrada. Para Juliana, “é risível que se considere possível a opressão da maioria pela minoria e que ter um representante com tal pensamento só evidencia o preconceito de uma sociedade que, em grande parte, não sabe conviver com o diferente”.

A ORIGEM DA PÁSCOA



Lenara Martins - 3º Período, Jornalismo.

A Páscoa está se aproximando e com ela vêm algumas dúvidas: qual é a sua origem? Como é a tradição da páscoa em outros países? E as curiosidades?
A páscoa é a mais importante festa da cristandade, quando se comemora a ressurreição de Jesus Cristo. Nas igrejas a data é comemorada com o badalo dos sinos, que significa o momento da ressurreição do filho de DEus e a distribuição de vinho e pão, como Jesus fez na Santa Ceia, distribuindo aos seus discípulos.
Em alguns países a data é comemorada de acordo com suas tradições. Na Suécia, por exemplo, as crianças comemoram de forma bastante parecida com o Halloween, dos EUA. Já no México é popular a tradição de “malhar o judas”, que significa, o apóstolo que traiu Jesus. Em algumas cidades, Judas também é representado por uma piñata (um jarro cheio de doces que as crianças devem tentar quebrar, espalhando doces para todos os presentes).
            Uma das curiosidades é a tradição que os EUA tem, onde é comum pintar ovos cozidos, decorado com desenhos e formas abstratas.
             Outro fato bem interessante ocorreu em 1975 na cidade de Vegreville, no Canadá, em que foi construído um ovo de nove metros, feito de alumínio permanente e anodizado em dourado, prateado e bronze.
             O que não se pode esquecer, é que a Páscoa não é só a venda de ovos de chocolate, mas sim o momento em que Jesus se sacrificou por nós.


quarta-feira, 28 de março de 2012

28 de Março: Dia do Diagramador e Revisor

 
 
Diagramador


Ele chega cedo na redação. Seu trabalho é visto todos os dias nas páginas dos jornais. E, para realizá-lo, tudo é estrategicamente pensado: o formato, a disposição e tamanho de fotos e ilustrações, visando um resultado  harmônico e criativo. Esse alguém é o diagramador, o profissional responsável pela distribuição nas páginas de todo material de uma publicação.
 O ato de diagramar diz respeito à distribuição dos elementos gráficos no espaço limitado da página impressa . Entre as diretrizes principais da diagramação podemos destacar a hierarquia tipográfica e a legibilidade. Pois através delas, o diagramador realiza o processo de análise para entrelaçar o conteúdo com as formas.
  Segundo a diagramadora Zélia Oliveira, a carreira é um fascínio. "A profissão de diagramador é muito gratificante. Quando vemos um produto final, seja ele um jornal, uma revista, um livro ou um folhetim, a emoção é a mesma. Criar e pensar na visão que as pessoas terão com o seu trabalho e a ilusão criada atualmente com programas de editoração são fascinantes. Uma das maiores dificuldades na profissão é fazer com que quem tenha solicitado o trabalho entenda nossas idéias, sugestões e visão de marketing.”
Revisor
 
Desde 17 de outubro de 1969, através do decreto-lei nº. 972, foi regulamentada a profissão de jornalista. Uma das funções que a categoria pode desempenhar é a de revisor, sendo responsável por rever as provas tipográficas das matérias escritas pelos repórteres.
 "O revisor é um profissional que lê de tudo, o tempo todo, goste ou não da leitura a que é obrigado em razão de seu ofício. Assim, um dia ele enfrenta um livro de medicina, no outro, um de engenharia, depois uma obra sobre política internacional, ou a epidemia de dengue no Rio de Janeiro. Isso tudo de olho na gramática, no estilo, na concordância e na uniformização da obra. Além disso, tem de reservar um tempo para estudar um pouco, dar uma reciclada no inglês, se atualizar com os jornais, as notícias, enfim, manter-se vivo e alerta", afirma o revisor Renato Barraca. Ainda no seu entender, o profissional desta área tem de achar no texto os erros dos outros. E por isso não é muito estimado pelos redatores.
 "Mesmo assim, essa é uma profissão que está longe de acabar, pois no Brasil nunca se errou tanto ao escrever como agora", afirma.

Parabéns a todos os Diagramadores e Revisores!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Ô Abre alas que elas vão passar



“Queremos ser igual na diferença”

Mais do que uma data comemorativa, o dia Internacional da Mulher deve ser reconhecido como símbolo da luta feminina em busca do seu espaço na sociedade. Desde que 130 trabalhadoras morreram queimadas, há 155 anos em Nova York, reivindicando por melhores condições trabalhistas, ainda há muito a se fazer.

Em âmbito nacional esta luta está por melhores dias no mercado de trabalho. Segundo o IBGE, a diferença salarial entre homens e mulheres ainda é grande. O rendimento médio mensal delas, em 2010, era de R$983,00 enquanto deles era de R$1.392,00, uma diferença de mais de R$400,00. Mesmo em um país que tem em sua máxima representação política uma mulher, as brasileiras não têm pleno reconhecimento no mundo corporativo e na sociedade. Humilhação, violência doméstica, dependência financeira e pré-julgamentos são alguns fatores que ainda as atormentam e são motivos de lutas durante décadas.

Para a professora do UBM, Marlene Fernandes, as reinvindicações surgiram devido à pressão da sociedade, que fez com que elas percebessem que se não criassem um movimento especifico, não conseguiriam mudanças. Nesse contexto surge o movimento feminista que levanta, dentre outras bandeira, a igualdade entre os gêneros. “Nós queremos a igualdade na diferença” analisa Marlene, que acredita que para conquistas efetivas, as mulheres não podem “imitar” o modelo patriarcal ou querer inverter os papéis. “A mulher tem que encontrar uma forma própria de lidar com o poder e usufruir do espaço que vem ganhando”, explica. Ela lamenta o fato de que os movimentos perderam considerável força se comparados com o seu auge nas décadas de 70 e 80 e se preocupa ao falar sobre o uso que a nova geração faz da liberdade que foi conquistada: “Eu vejo que as jovens ainda estão confusas, não sabem o que fazer. É uma geração despolitizada que se confunde no meio de consumo e a liberdade acaba se expressando com o uso do próprio corpo”. Quanto aos homens, a professora é categórica: “Eles estão ainda mais confusos, não é fácil perder o poder que foi estritamente masculino durante séculos”.

Os avanços são muitos, vão desde o nítido aparecimento das mulheres nos espaços públicos, o aumento da presença feminina nas universidades e na política, até leis como a Maria da Penha. Mas elas ainda são minorias e enfrentam respingos de um passado dedicado ao espaço privado. São vistas como mãe, omissas e mão-de-obra mais barata, ou seja, estão nos espaços públicos, mas carregam a cultura do espaço doméstico.

80 anos da conquista do voto feminino

Em 2012 as mulheres tem muito que comemorar, no último dia 24, o Brasil completou 80 anos de liberação do voto feminino. Leolinda Daltro, Bertha Lutz e outras grandes personalidades são nomes que fizeram história para garantir que na Constituição de 1932, fosse garantido, em parte, o direito de escolher e ser escolhida no poder público. O texto original do decreto diz que, apenas mulheres casadas, viúvas e solteiras com renda teriam a aquisição. Apenas em 1946, todas as brasileiras puderam exercer a cidadania sem nenhuma restrição. Atualmente com direito de votar e serem eleitas, a luta das mulheres é por maior participação nos espaços de poder.
A Deputada Inês Pandeló, que preside a comissão de defesa dos direitos da mulher na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj)ia Legislativa do Rio de Janeiro (, acredita que com a vitória da Presidente Dilma Rousseff, mais mulheres chegarão ao poder. “Após esse fato histórico, o Brasil com certeza, dará mais credibilidade as mulheres, mas como é um processo cultural é preciso muito trabalho e de forma continuada para acabar de vez com a discriminação de gênero”, comentou a parlamentar.

(Foto: http://www.usp.br/espacoaberto/arquivo/2001/espaco06mar/editorias/variedades.htm)

Romário diz que Copa de 2014 poderá ser o ‘maior roubo da história’


André Calcagno


O deputado federal Romário de Souza Farias (PSB-RJ), um dos principais críticos à forma com que a Copa do Mundo de 2014 tem sido organizada, alertou neste domingo que a competição se tornará o "maior roubo da história" do país, tudo por conta da má gestão dos políticos brasileiros.

Em texto publicado em sua página no Facebook, o ex-atacante protestou contra a ausência de representantes do Congresso na audiência entre a presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT), e o presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, na última sexta-feira (16)

- Esta palhaçada vai piorar quando faltar um ano e meio para o Mundial. O pior está por vir porque o governo deixará que aconteçam as obras emergenciais, as que não precisam de licitações. Ai vai acontecer o maior roubo da história do Brasil - afirmou Romário.
Após  reunião no Palácio do Planalto com a presidente, Blatter prometeu se unir ao governo para realizar "a melhor Copa de todos os tempos já organizada pela Fifa".
Perguntado pelo Entrelinhas, sobre o que pensa sobre as declarações de Romário,  William Ferreira, jornalista e editor do site ‘Infoesportes’, disse não acreditar que este será o maior roubo da história, mas sim desse século, não só levando em conta o futebol. “Na Copa de 50, também realizada no Brasil, deve-se ter roubado muito. Só não tínhamos uma imprensa livre e tão eficiente como hoje para ficarmos sabendo”, citou..
O jornalista disse não acreditar que o Brasil passará vergonha, pela má organização da competição. “A maquiagem será muito bem feita para que a Copa seja vista com bons olhos, ao menos pelos estrangeiros”, argumentou.
Já para o técnico de vídeo, Luciano Fonseca, as irregularidades começam desde as escolhas das cidades. “A roubalheira começou  por aí, passa pelos estádios e em todas as obras que estão sendo realizadas. É tudo escolha política, maracutaias e troca de favores”,  arremata Luciano.

(Foto: http://assuntosdegoias.blogspot.com.br/2011/11/romario-quer-ser-prefeito-do-rio-e.html)

Educação integral infantil brasileira vai receber R$ 1,5 bilhão de investimentos em 2012


Projeto do Governo Federal já começa com problemas no interior do Rio de Janeiro
           
Em janeiro deste ano foi inaugurada uma nova creche em Angra dos Reis, na região Costa Verde do Rio de Janeiro. Com capacidade para atender a 250 crianças na faixa etária de quatro meses a cinco anos de idade, o centro educacional possui uma excelente estrutra, com aproximadamente 80 funcionários. A entrega contou com a presença da presidente Dilma Rouseff. Ela iniciou por Angra a implantação do projeto “Mais Educação”, do Governo Federal, que pretende atender mais de 5 milhões de estudantes em mais de 30 mil escolas espalhadas por todo o país. A unidade foi projetada para funcionar em horário integral para atender crianças dos quatro meses aos três anos, e em meio período para as de cinco e seis anos. Porém, até o início do mês de março, os serviços ainda não haviam sido iniciados.
As mães do bairro Morada do Bracuhy, um dos mais carentes da cidade, estão desoladas. Elas estavam certas de que seus filhos teriam uma educação de qualidade à partir da inauguração da creche. Os serviços prometidos não deixam nada a desejar a uma instituição de ensino particular. As crianças tem direito a programas de atividades lúdicas, artísticas, culturais e esportivas, além de refeições como café da manhã, almoço e café da tarde. Tudo subsidiado pelos governos federal e municipal. Por isso, a decepção de quem matriculou o filho na creche e ainda não foi bneficiado pelo projeto é grande.
Em nota divulgada à imprensa, a secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia de Angra dos Reis esclareceu que houve atraso no cronograma de obras da escola que fica no bairro. E que a creche recém inaugurada foi usada para absorver seus alunos. “A secretaria tinha um cronograma de obras que deveriam ser entregues no início do ano letivo, antes do dia 5 de fevereiro. Porém, a obra da escola do bairro Morada do Bracuí atrasou. Nós temos no calendário um número de dias letivos e de horas que nós temos que cumprir com as crianças do primeiro ao nono ano de escolaridade. Então, a secretaria optou por cumprir esse calendário com as crianças do ensino fundamental utilizando as dependências da creche”, disse a secretária Rita Salomão.

(Foto: http://dilmais.blogspot.com.br)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Manifestações articuladas pelas redes sociais ganham força


 Edurne Miravete

O advento da internet torna-se um fator cada vez mais importante para sociedade e ganha força dia após dia. Além de permitir uma democratização da informação e domínio cultural, a internet propicia manifestações políticas, econômicas, e de valores impregnados na sociedade. A novidade é a forma como essas articulações ocorrem. Elas são, com freqüência, convocadas através de redes sociais como Facebook e Twitter, por exemplo.
Há pouco menos de um mês, alunos das Faculdades Dom Bosco organizaram um protesto contra a violência, após dois assassinatos consecutivos, naquelas proximidades. Um dos jovens mortos era aluno da instituição. Revoltados, os universitários se articularam pela internet e demonstraram sua insatisfação diante dos fatos.
A “Primavera Árabe”, onda revolucionária que invadiu alguns países do Oriente Médio e Norte da África, como o Egito, por exemplo, teve em muitos casos sua origem online. Através dos sites, a população pode expressar suas críticas ao governo e se organizar. No Brasil, o Dia da Independência – 7 de Setembro – foi marcado por várias manifestações contra a corrupção. Há ainda algumas manifestações carregadas de ironia como a que aconteceu em maio em São Paulo, mais especificamente em Higienópolis. Após uma declaração infeliz sobre a instalação de um metrô no bairro, alguns internautas resolveram organizar um churrasco no bairro.
A grande vantagem desse novo método é a abrangência alcançada e velocidade com que os fatos circulam. O que antes levava meses para ser organizado, hoje pode ser em questão de dias. Mas para o professor do curso de Jornalismo Álvaro Britto, a grande mudança não ocorre no espaço virtual. “A troca de informações e esse espaço para furar o bloqueio da grande mídia é muito válida. É mais um espaço de divulgação. Mas o espaço de real mudança é a rua! A internet é apenas uma ferramenta”, opina Álvaro.

Curso de Comunicação realiza debate sobre estágio


Joseane Ramos
 
Participar de um programa de estágio é o desejo da maioria dos alunos dos cursos de graduação. Eles buscam adquirir experiências e conhecimentos, sabendo que o mercado de trabalho procura justamente isso, aprendizado. Foi pensando assim que o Curso de Comunicação Social do UBM realizará, no dia 27 de março, no Salão Nobre Professor Jayme Dantas, um debate sobre o assunto com o tema "Estágio: A quem interessa" ? O encontro acontece às 19h.
O objetivo do evento, segundo um dos organizadores, o professor Álvaro Britto, é esclarecer as dúvidas dos alunos sobre o estágio e a lei que o regulamenta, além de discutir sobre a realidade do estagiário em seu ambiente de trabalho. O debate contará com a presença da coordenadora da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (ENECOS) e diretora do DCE da UFF, Jéssica Pietrani;e a jornalista e mestre em Ciência Política Carmem Lucia Pereira. O debate será mediado pela jornalista Michele Martins, ex aluna do UBM, editora do portal Rio Sul Net. 
 

quinta-feira, 8 de março de 2012

Rio de Janeiro: 447 anos




A população. A cidade do Rio de janeiro completou neste mês, 447 anos de fundação. Com um litoral extenso, ela ficou conhecida também como “Rio 40 graus”, através da música de Fernanda Abreu, atraindo ainda mais turistas do mundo todo, encantado por suas belezas naturais. O município também oferece uma extensa diversidade cultural, oferecendo shows, teatros, exposições e por aí vai;
            Um dos mais conhecidos pontos turísticos do Rio é o Cristo redentor, que foi considerado uma das sete maravilhas do mundo, em 2007. Outros locais muito visitados são Pão de Açúcar, Jardim botânico e Floresta da Tijuca. A cidade também é conhecida mundialmente por seu famoso carnaval, com destaque para o desfile das escolas de samba e dos blocos de rua, entre eles o o Cordão da Bola Preta que existe desde 1918.
            Então palmas para o Rio, que ele merece.

Por Lenara Martins ( 3º Período- Jornalismo UBM)

Dica de Livro: Cidade Partida de Zuenir Ventura


      Zuenir Ventura acompanha as duas realidades do Rio de Janeiro: a dura vida no morro de Vigário Geral, dos moradores e dos que escolheram entrar para o tráfico de drogas, e a mobilização da sociedade civil pedindo pela paz na campanha Vivo Rio. Dois grupos que lutam pelo mesmo ideal: Sobreviver. Um ótimo livro pra conhecer os dois lados dá realidade carioca.


 Dia Internacional da Mulher


                 Ao longo da história, as mulheres estiveram sempre submissas às vontades dos homens, a trabalhar como serviçais, sem receber nada pelo seu trabalho ou então ganhando um salário injusto, que não dava para sustentar sua família.

                Hoje a mulher tem uma participação maior no mercado de trabalho e na sociedade. Dois bons exemplos são a presidenta Dilma Rousseff e a executiva Maria das Graças Foster, a primeira mulher a presidir a Petrobras, uma grande estatal.

                O Dia Internacional da Mulher, celebrado  hoje (8 de março), tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Comunicação Social Jornalismo

Sobre o Curso


O curso de Comunicação Social do UBM é um dos mais tradicionais do interior do estado do Rio de Janeiro e forma profissionais nas habilitações de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda.

A partir dos primeiros períodos do curso, os alunos podem participar da AGEXP, Agência Experimental de Comunicação, produzindo informativos, como o Entrelinhas, O Comunicador e o Jornal Mural, programas para a Rádio UBM ou desenvolvendo trabalhos na área de publicidade, como confecção de logo marcas, layouts para cartazes, websites e muito mais.

As atividades complementares realizadas oferecem inúmeras opções de aperfeiçoamento do ensino, através de palestras, cursos, seminários e diversos outros eventos. O curso oferece parceria com a TV Rio Sul e outras empresas de comunicação e publicidade, nas quais os alunos têm a oportunidade de receber treinamento profissional, vivenciando desde a graduação as exigências e os desafios do mercado de trabalho.

Constantemente, os alunos recebem a visita de profissionais da área, que partilham experiências sobre a rotina da profissão. Os estudantes também realizam visitas técnicas para conhecer o funcionamento dos meios de comunicação e dos departamentos de imprensa e de publicidade em empresas e indústrias da região. O curso ainda se destaca pela realização de eventos que já se tornaram tradição na instituição e na cidade, como o Bar Acadêmico e o Conexão Cultural.

O curso possui estúdios de TV, Rádio e Fotografia, laboratórios de Informática, além da AGEXP, Agência Experimental de Comunicação.

A Rádio UBM oferece uma programação produzida inteiramente por alunos e pode ser acessada 24 horas por dia, através da Internet.

Tempo de duração do curso: 7 semestres
Turno: Noturno
Horário: 19h às 21h45

Disponível no Campus Barra Mansa

Telefones de Contato:
(24) 3325-0215
(24) 3325-0269
(24) 3325-0232